As autoridades da Geórgia retiraram nesta sexta-feira uma estátua do ex-ditador soviético Josef Stalin em sua cidade natal, Gori. No mesmo local, será construído um memorial para as vítimas da guerra com a Rússia em 2008. Gori está a poucos quilômetros de distância da região separatista da Ossétia do Sul, onde as forças russas derrotaram o Exército georgiano em um rápido conflito em agosto de 2008. “Um memorial para Stalin não tem espaço na Geórgia do século 21”, afirmou o presidente do país, Mikhail Saakashvili, em comentários televisionados.

A cidade, que sofreu com tiros de artilharia e ataques aéreos durante os cinco dias do conflito, foi rapidamente ocupada pelos russos. A Ossétia do Sul e outra província separatista conseguiram a independência da Geórgia com a ajuda da Rússia, mas o Ocidente não reconheceu a separação, ao contrário de Moscou. O monumento, de seis metros de altura, estava na praça central de Gori desde o começo da década de 1950. A estátua deverá ser levada para um museu dedicado ao líder soviético na cidade, o que pode preocupar as gerações mais antigas. No ano passado, o país demoliu um grande memorial em homenagem às lutas do Exército Vermelho na Segunda Guerra.