O governo do presidente George W. Bush considera mudar sua estratégia para os combates no Afeganistão, disse nesta quinta-feira (18) o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates. O país sofre com a crescente ameaça insurgente e com o aumento dos níveis de violência. “Você tem uma abordagem geral, uma estratégia geral, mas ajusta isso continuamente baseado nas circunstâncias que encontra”, afirmou Gates, em Londres.

“Nós fizemos isso no Iraque. Nós fizemos uma mudança na estratégia no Iraque e continuaremos a analisar a situação no Afeganistão.” Quando foi pedido para que divulgasse mais detalhes sobre a mudança na estratégia, o secretário de Defesa desconversou. “Nós estamos analisando isso”, disse.

Após visita ao Afeganistão, Gates estava nesta quinta em Londres para consultas com funcionários da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Segundo um alto funcionário que acompanhava a comitiva, está em estudo uma possível redução do uso das tropas da Otan em funções de combate, sendo que tropas dos EUA as substituiriam nesse papel. Porém, o funcionário, que falou sob condição de anonimato, afirmou que a revisão abrangia não só aspectos militares.

O chefe das tropas dos Estados Unidos no Afeganistão, general David McKiernan, disse na terça-feira em Cabul que considerava a estratégia atual adequada. No entanto, para ele são necessários mais tropas e recursos para executar essa estratégia. Segundo o general, é preciso o envio de mais 10 mil tropas dos EUA em 2009 além dos reforços já anunciados pelo Pentágono.

Vítima

Nesta quinta, as tropas lideradas pela Otan mataram um aliado do presidente Hamid Karzai no sul do Afeganistão, em um confronto durante a noite. Segundo Karzai, a morte resultou de uma “falta de compreensão entre as forças estrangeiras e locais”. A vítima foi Ruzi Khan Barakzai, ex-chefe de polícia da província de Uruzgan, líder tribal e comandante de milícia. Ele foi morto nas proximidades da capital provincial de Tirin Kot. Segundo um comunicado do ministro da Defesa da Austrália, policiais afegãos também podem ter morrido no conflito.

O Afeganistão sofre com o aumento da violência, mesmo após os Estados Unidos e a Otan enviarem milhares de tropas extras ao país. Em 2007, mais de 8 mil pessoas foram mortas em incidentes relacionados à insurgência. Nesse ano, já morreram 4.500 pessoas a maioria militantes.