Um tribunal espanhol emitiu uma ordem de prisão para o ex-presidente chinês Jiang Zemin e quatro outras autoridades chinesas por acusação de genocídio no Tibet.

O tribunal disse nesta terça-feira que aceitou argumentos de grupos de direitos humanos espanhóis a favor do Tibet. Esses grupos alegam que reportagens internacionais indicam que as cinco autoridades podem ter tido um papel no alegado genocídio e devem ser questionados. Entre essas autoridades está o ex-primeiro-ministro Li Peng.

A China havia classificado a investigação como interferência em seus assuntos e afirmou que as acusações foram “totalmente inventadas”. O ex-presidente chinês, Hu Jintao, também está sob investigação do tribunal espanhol, embora sua prisão não tenha sido decretada.

O sistema legal da Espanha reconhece o principio de justiça universal no qual suspeitas de genocídio podem ser levadas à julgamento fora do país onde ocorreram. Fonte: Associated Press.