A Guarda Civil da Espanha deteve 10 pessoas, dentro eles três advogados, por supostas ligações com o grupo terrorista ETA (Pátria Basca e Liberdade), informou o Ministério do Interior nesta quarta-feira. A polícia acredita que os detidos fazem parte de um grupo que ajudou a manter contato entre a organização armada basca, seus integrantes que foram presos e as famílias dos insurgentes, disse o ministério em comunicado.

Os três advogados regularmente representavam militantes e simpatizantes do ETA nos tribunais. Entre os detidos está Arantxa Zulueta, que foi um dos principais advogados de pessoas do ETA nos últimos anos. Um porta-voz da Corte Nacional da Espanha disse que o juiz Fernando Grande-Marlaska ordenou as prisões, sob a suspeita dos detidos participarem ou colaborarem com o ETA.