Pelo menos 20 pessoas ficaram feridas hoje, na Indonésia, devido à erupção vulcânica no Monte Merapi, que lançou cinzas quentes e rochas ao ar. Os feridos foram levados para atendimento médico, segundo relato de um jornalista local da agência de notícias Associated Press.

Cerca de 11.400 moradores da montanha receberam ordens para deixar o local, mas a maioria dos que fugiram são idosos e crianças. Os adultos permaneceram para cuidar das casas e das fazendas. Segundo o vulcanologista chefe do setor no país, a erupção teve início antes do amanhecer. O vulcão vinha fazendo ruídos há horas.

“Houve um estrondo que durou muito tempo, talvez 15 minutos”, disse Sukamto, um agricultor que mais tarde abandonou sua casa, localizada na encosta fértil do Monte Merapi. “Aí, umas nuvens enormes de cinzas começaram a ser expelidas,” contou.

Os cientistas advertiram que a pressão que se forma no interior do Merapi pode dar início à mais forte explosão dos últimos anos. “A energia está se acumulando. Esperamos que ela seja dissipada lentamente”, disse outro vulcanologista, chamado Surono. “Caso contrário, podemos esperar uma grande erupção, maior do que qualquer uma que vimos nos últimos anos.”

Em 2006, uma avalanche de gases quentes e fragmentos de rocha desceu do vulcão e matou duas pessoas. Uma erupção semelhante em 1994 matou 60 pessoas. Em 1930, uma explosão do Monte Merapi deixou 1.300 mortos. A Indonésia fica no chamado “Círculo de Fogo” do Pacífico, onde se encontram placas continentais, causando forte atividade vulcânica e sismológica. O arquipélago frequentemente sofre com fortes tremores. Existem 129 vulcões ativos na Indonésia, país que se estende por 17.500 ilhas.