A companhia italiana ENI informou neste sábado a suspensão das operações no estado de Bayelsa, no sul da Nigéria, devido aos frequentes furtos de petróleo dos oleodutos. “A decisão foi tomada devido à intensificação de atividades armazenamento de combustível em contêineres ou sabotagem dos oleodutos”, disse a companhia por meio de comunicado.

A ENI anunciou que interrompeu completamente todas as atividades em poços terrestres na área pantanosa de Bayelsa durante a madrugada de quinta para sexta-feira. O grupo italiano explicou que os furtos de petróleo dos oleodutos “atingiram níveis que não eram mais sustentáveis recentemente tanto do ponto de vista da segurança como dos danos causados ao ambiente por essas práticas.”

A petrolífera estava produzindo entre 35 mil e 40 mil barris por dia no local e os furtos decorrentes da sabotagem alcançaram 60% da produção. A Nigéria é o maior produtor de petróleo do mundo e a maior parte da receita do governo é gerada pelo setor. As populações do Rio Níger, contudo, vivem basicamente na pobreza e a área é muito poluída. As informações são da Dow Jones.