As enchentes no sopé do Himalaia, no oeste da China, destruíram pontes, casas e encostas, além de matar pelo menos 25 pessoas e deixar dezenas desaparecidas nesta quinta-feira, enquanto fortes chuvas atingem várias regiões do país.

Em algumas áreas da província de Sichuan, no oeste, as inundações foram as piores dos últimos 50 anos e obrigaram o deslocamento de mais de 100 mil pessoas. Em todo o país, pelo menos 44 pessoas morreram e 66 estão desaparecidas, mas pelo menos 1,6 milhão têm sido afetadas desde domingo, segundo dados do Ministério de Assuntos Civis e da agência oficial de notícias Xinhua. Milhares de casas foram destruídas ou ficaram danificadas, praticamente paralisando os transportes em áreas mais atingidas.

A maior parte das vítimas em Sichuan sofreu com um grande deslizamento de terra ocorrido num resort, nas proximidades da cidade de Dujiangyan. Uma encosta desmoronou sobre uma série de chalés, onde moradores da cidade estavam hospedados para escapar do calor do verão, informou um sobrevivente à Xinhua.

“O barulho foi como o de um trovão e pôde ser ouvido por dois ou três minutos. Meu primeiro pensamento foi de que eu também poderia ter ficado soterrado”, declarou à agência estatal Gao Quanshi, de 47 anos. As linhas telefônicas foram cortadas, o que obrigou os moradores a andar até escritórios do governo próximos para pedir ajuda, disse ele.

No total, 358 turistas haviam sido resgatados da área até a noite de quarta-feira, informou a Xinhua.

Deslizamentos de terra e enchentes são comuns nas áreas montanhosas da China, matando centenas de pessoas a cada ano, mas em algumas região as inundações deste ano são as piores em meio século. Há registros de precipitações de 940 milímetros em Dujiangyan em 40 horas, a partir de segunda-feira, o maior desde que as medições tiveram início, em 1954.

Também no oeste, mais de 2 mil pessoas foram resgatadas depois de ficarem presas por várias horas na quarta-feira num túnel de uma estrada entre Dujiangyan e Wenchuan – o epicentro do terremoto que, cinco anos atrás, deixou pelo menos 90 mil pessoas mortas ou desaparecidas em Sichuan.

As enchentes também provocaram o desmoronamento de uma ponte, de quase 50 anos, num condado próximo. Seis carros caíram nas águas do rio e 12 pessoas estão desaparecidas.

Na província de Shanxi, norte do país, pelo menos 12 trabalhadores morreram na terça-feira quando uma forte tempestade provocou o desabamento de uma mina de carvão em construção.

Três pessoas que estavam num carro morreram afogadas na província de Hebei, nas proximidades da capital. Outras 11 pessoas morreram ou estão desaparecidas a província de Yunnan, em Pequim, na Mongólia Interior e a província de Gansu. Fonte: Associated Press.