O embaixador da Venezuela junto à Organização das Nações Unidas (ONU), Jorge Valero, rejeitou as críticas do porta-voz do Escritório do Alto Comissariado para os Direitos Humanos Rupert Colville e exigiu respeito ao Estado de direito e de justiça no país, informou a rede de televisão venezuelana Globovision. Segundo Valero, há uma tentativa de questionar as decisões do Supremo Tribunal de Justiça concedidos pela Constituição da Venezuela. Ele disse ainda que o alto comissariado ignora “ações de vandalismo e terrorismo” executadas desde o início de abril.

Na sexta-feira, Colville havia divulgado nota dizendo que a decisão da Suprema Corte venezuelana de 28 de junho de iniciar processos de remoção contra a procuradora-geral do país, Luisa Ortega, de congelar seus bens e proibi-la de sair do país é “profundamente preocupante”, assim como a violência em curso no país. Ele criticou ainda a decisão de 27 de junho da Câmara Constitucional do Supremo Tribunal de Justiça de declarar a nulidade da nomeação de um vice-procurador-geral e de nomear, em vez disso, um vice temporário, como uma violação do procedimento de nomeação nos termos da legislação venezuelana.

“É lamentável que o porta-voz do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos Rupert Colville nunca manifeste ‘preocupações’ com a conduta terrorista de alguns setores e atores da oposição venezuelana”, disse Valero, de acordo com a Globovision. Ele também expressou preocupação de que as declarações de Colville contribuam para desacreditar as instituições venezuelanas, conforme a reportagem.