Dezenas de disparos de AK-47 foram feitos na madrugada desta sexta-feira contra a fachada da embaixada de Israel em Atenas, sem deixar feridos. A polícia informou que 54 cápsulas do rifle de assalto – o preferido de grupos anarquistas gregos – foram recuperadas do lado de fora do prédio, um dos mais edifícios com maior grau de segurança da capital grega.

Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque, que ocorreu bem antes do início das atividades no prédio. A polícia disse que testes de balística mostraram que as armas usadas no ataque foram as mesmas empregadas numa ação semelhante contra a residência do embaixador da Alemanha em Atenas, um ano atrás. Na época, um pequeno grupo terrorista de esquerda, chamado “Combatentes Populares” assumiu a responsabilidade pelo ataque, que não deixou feridos.

Autoridades de Atenas condenaram a agressão, destacando, porém, que a ação não afetará as relações próximas do país com Israel. “O governo grego está totalmente determinado a garantir a proteção de todas a missões diplomáticas na Grécia”, diz um comunicado do Ministério de Relações Exteriores. “Obviamente, medidas particularmente fortes de segurança e proteção estão em vigor na embaixada de Israel.”

Segundo a polícia, as pessoas que participaram do ataque estavam em pelo menos uma motocicleta e fugiram após os disparos.

Na próxima quarta-feira, dia 17 de dezembro, o Parlamento grego realiza o primeiro turno da eleição presidencial. O pleito, que originalmente seria realizado em fevereiro, foi antecipado. A decisão foi tomada depois de pesquisas de opinião mostrarem que os gregos estão mais propensos a votar no partido de esquerda Syriza, que é contrário às medidas de austeridade adotadas pelo atual governo.