O primeiro-ministro do Quirguistão, Daniyar Usenov, assinou hoje uma carta de renúncia, de acordo com informações da oposição, que iniciou uma revolta feroz no país da Ásia Central. Um funcionário do aeroporto da capital informou que o presidente Kurmanbek Bakiyev fugiu de Bishkek, em um pequeno avião. Os líderes da oposição tomaram a TV estatal e proclamaram, por meio dela, que uma revolução está em curso no país.

Pelo menos 40 pessoas foram mortas nos confrontos, segundo o Ministério da Saúde do Quirguistão. Um líder da oposição, no entanto, disse que cerca de 100 pessoas perderam a vida nos tumultos. Entre eles está ministro do Interior do Quirguistão, Moldomus Kongantiyev.

A oposição pede pelo fim do arrendamento da base aérea de Manas aos Estados Unidos, que usam a instalação militar para enviar tropas e suprimentos ao Afeganistão. O Departamento de Estado do governo americano disse hoje que a base aérea de Manas está “funcionando normalmente”.

O porta-voz do Departamento de Estado do governo dos EUA, P.J. Crowley, disse que os EUA lamentam a violência e pedem que a lei e a ordem sejam respeitadas no Quirguistão. Segundo ele, os EUA compartilham das preocupações e problemas do povo quirguiz, mas essas questões devem ser resolvidas “de maneira pacífica”.

Na terça-feira, mais de mil pessoas romperam barreiras policiais e tomaram controle de escritórios do governo em Talas. Em Naryn, no centro do país, centenas de manifestantes invadiram nesta quarta-feira a sede do governo regional, após o governador se recusar a negociar.

Na cidade de Tokmak, nas proximidades da capital, 2 mil manifestantes se reuniram para protestar. Na cidade de Osh, no sul, também há relatos sobre manifestações.

Histórico

O Quirguistão é um país montanhoso, localizado estrategicamente entre China, Rússia, Afeganistão e o sudeste da Ásia. É um dos países mais pobres da ex-União Soviética, que se dissolveu em 1991. A nação enfrenta corrupção e instabilidade crônicas. Os atuais distúrbios lembram os ocorridos em março de 2005, que resultaram na deposição do presidente Askar Akayev.

Os líderes oposicionistas acusam o governo Bakiyev de violações aos direitos básicos, autoritarismo e condução arbitrária de economia. O país tem sofrido com fortes aumentos em bens e serviços essenciais. O promotor-geral do Quirguistão, Nurlan Tursunkulov, anunciou que a polícia capturou o ex-candidato presidencial e ex-primeiro-ministro Almazbek Atambayev, o ex-presidente do Parlamento Omurbek Tekebayev e o assessor dele Bolot Cherniazov.

O governo de Bakiyev prometeu ontem combater “duramente” os protestos, mas as manifestações ganharam corpo. A Rússia pediu que as forças de segurança não usem a força contra os manifestantes. Em comunicado divulgado na terça-feira, a embaixada dos EUA em Bishkek demonstrou estar “profundamente preocupada” com a instabilidade. Com informações da Dow Jones.