O Conselho Nacional do esquerdista Partido da Revolução Democrática (PRD) designou nesta terça-feira (22) dois dirigentes como líderes temporários para o partido, ao terminar o período de seu presidente, Leonel Cota, e diante da controvérsia provocada pelas votações internas.

A decisão foi adotada após as eleições internas recentemente concluídas em meio a uma forte polêmica ocasionada pelos dois principais candidatos, o ex-prefeito da Cidade do México, Alejandro Encinas, e o ex-senador e co-fundador do partido, Jesús Ortega, que proclamaram sua vitória e alegaram irregularidades graves. Cota deixou a presidência do partido hoje, enquanto persiste estancada a contagem das votações internas.

Para evitar que se aprofunde a crise no partido e diante da falta de um consenso sobre um dirigente provisório aceitável para ambas partes, se decidiu designar dois "representantes legais" que assumirão a condução desse partido. Trata-se do senador Graco Ramírez, da Nova Esquerda, e Raymundo Cárdenas, da Esquerda Unida.

Espera-se que o presidente substituto do partido, enquanto se dirime a controvérsia eleitoral, seja designado em 4 de maio quando seja realizado o 11º Conselho Nacional do PRD.