O presidente eleito do Peru, Ollanta Humala, iniciará amanhã um giro por alguns países da América do Sul, começando pelo Brasil. Ele vai passar também por Argentina, Chile e Uruguai, em uma viagem que deve durar uma semana.

Em uma entrevista à emissora norte-americana CNN, ontem, Humala disse que deseja ter contato com os chefes de Estado sul-americanos. Ele afirmou que também planeja ir até Bolívia, Equador, Colômbia e Venezuela. Além disso, indicou que pode viajar aos Estados Unidos. “Me interessa resolver os problemas de meu país e ser um bom vizinho da América Latina”, afirmou.

Humala recebe hoje a prefeita de Lima, Susana Villarán, membros do comitê político do partido governista Apra, integrantes da maior organização empresarial do país e representantes da Sociedade Nacional das Indústrias.

Um militar da reserva, Humala venceu no domingo o segundo turno das eleições, superando a deputada Keiko Fujimori. Com 98% dos votos contabilizados, o Escritório Nacional de Processos Eleitorais (Onpe, na sigla em espanhol) afirmou que Humala obteve 51,465% dos votos, enquanto Keiko aparece com 48,535%.

Após a vitória do nacionalista, a Bolsa de Valores de Lima caiu 12,45% na segunda-feira, seu maior recuo na história. Ontem, a bolsa se recuperou e subiu 6,97%. Na entrevista à CNN, Humala disse que vinha trabalhando na composição de seu gabinete ministerial e que buscava pessoas “que tenham consistência moral bastante sólida”, para gerar confiança nos agentes econômicos. Ele assume em 28 de julho. As informações são da Associated Press.