Forças de segurança egípcias invadiram uma casa de banho e prenderam 25 homens suspeitos de homossexualidade. O ataque é parte de uma repressão em curso sobre gays. No mês passado, um tribunal condenou oito homens a três anos de prisão sob a acusação de “incitar deboche” ao participarem de uma festa de casamento de pessoas do mesmo sexo.

A lei egípcia não proíbe explicitamente relações consensuais entre pessoas do mesmo sexo, mas processa e prende gays sob acusações como “deboche” e “atos públicos de vergonha”.

O ataque à casa de banho aconteceu no domingo no bairro de Ramses, no Cairo, afirmou um oficial que falou sob condição de anonimato. Os homens foram arrastados nus para fora do prédio. O proprietário é um homem não identificado de 60 anos, suspeito de alugar o local especificamente para homossexuais.

A repressão aos homossexuais e também sobre os ateus é parte de uma ampla campanha contra todas as formas de dissidência realizada tanto por grupos políticos liberais quanto islamitas.

Em abril, quatro homens foram condenados a oito anos de prisão por “deboche” por realizarem festas que envolviam atividades homossexuais. Em 2011, 52 homens foram detidos em uma operação policial acusados de participarem de uma festa gay. Depois de um julgamento muito divulgado em um tribunal de segurança, 23 dos homens foram condenados e sentenciados a penas de prisão de um a cinco anos por comportamento imoral e desprezo à religião. Fonte: Associated Press.