O governo interino do Egito nomeou um comitê com 50 integrantes, dominado por políticos seculares e figuras públicas, para revisar as emendas propostas à Constituição. O porta-voz da presidência, Ihab Badawi, afirmou que o comitê se reunirá em 8 de setembro para começar as discussões sobre as mudanças propostas por um grupo de juízes.

A Constituição foi adotada pelo presidente deposto Mohammed Morsi e na época provocou protestos de opositores seculares que diziam que ela reduzia liberdades e direitos.

Sob um cronograma apoiado pelos militares, as mudanças iriam a votação em um referendo público dentro de dois meses. O plano prevê eleições parlamentares e presidenciais para o início de 2014. Fonte: Associated Press.