Um importante ativista da oposição cubana morreu depois de se afogar quando tentava retornar à sua terra natal, segundo outros dissidentes, que afirmaram que Adrian Leiva deixou a Flórida num barco em março. Ele queria voltar a Cuba para continuar seu trabalho como ativista político e para ficar com sua mãe.

O amigo de longa data Miguel Saludes disse que a família de Leiva foi comunicada pelas autoridades cubanas que ele se afogou enquanto nadava para a costa. Seu corpo foi identificado nesta semana.

Leiva havia trabalhado como jornalista independente em Cuba e estava envolvido com o Projeto Varela, que luta pela realização de um referendo sobre direitos civis e reformas eleitorais.

Saludes disse que Leiva teve permissão negada para entrar em Cuba em 2009. O jornal The Miami Herald foi o primeiro a divulgar a morte de Leiva.