Os republicanos da Câmara dos Representantes adiaram a apresentação de sua proposta de orçamento para o ano fiscal de 2018 para depois que os deputados voltarem do recesso de 4 de julho, segundo congressistas e assessores. O documento tem sido alvo de negociações, por causa de cortes de gastos obrigatórios previstos.

Os republicanos da Câmara estão perto de fechar um acordo que prevê gastos militares de US$ 621,5 bilhões, o que ultrapassa o limite de US$ 549 bilhões da lei atual, disseram assessores republicanos nesta semana. Já os gastos não militares devem ficar em US$ 511 bilhões, abaixo do limite de US$ 516 bilhões da atual legislação. O novo ano fiscal dos EUA começa em outubro.

Os congressistas dizem que a principal questão em aberto é quão grande deve ser o corte de gastos obrigatório no orçamento. A presidente do Comitê Orçamentário, a republicana Diane Black, disse que os deputados estão muito perto de um acordo, mas que ela não divulgará o documento antes que ele seja finalizado.

A resolução orçamentária é um documento em grande medida simbólico, mas tem um significado particular neste ano porque os republicanos planejam usá-lo como instrumento para avançar em sua reforma tributária, sem o apoio democrata. Os republicanos desejam incluir instruções para reduzir pelo menos US$ 200 bilhões em uma década em gastos obrigatórios, inclusive em importantes programas de seguridade social na saúde e para a alimentação dos mais pobres. Fonte: Dow Jones Newswires.