O ex-líder cubano Fidel Castro pediu na segunda-feira (13) o fim do embargo dos Estados Unidos e disse que Cuba não estava pedindo por “caridade”, horas depois de o presidente Barack Obama levantar restrições sobre viagens e transferências de dinheiro por cubano-americanos.

“Nem uma palavra foi dita sobre o embargo, que é a mais cruel de todas as ações”, disse Castro, num artigo publicado no site oficial Cubadebate, em reação à decisão do presidente americano.

“As condições são tais que Obama poderia usar seu talento na direção de uma política construtiva que possa encerrar o que já fracassou por quase meio século”, afirmou o ex-presidente cubano.