Às vésperas de enfrentar as eleições primárias de domingo, a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, suspendeu a agenda de hoje para ficar com sua nora, que sofreu um aborto. Cristina viajou para Río Gallegos, no sul do país, onde o filho Máximo, de 34 anos, vive com namorada Rocío, uma odontóloga de 35 anos.

“A presidente da Nação, Cristina Fernández de Kirchner, teve que suspender toda sua atividade programada para hoje e viajar à Santa Cruz, devido à perda da gravidez de sua nora, María Rocío García”, informou a nota oficial divulgada na página web da Presidência. A presidente tinha reuniões importantes com governadores e empresários.

No dia 13 de junho, a notícia sobre a gravidez da nora foi divulgada pela própria presidente, através da rede social Twitter, de onde estava afastada desde a morte do marido, o ex-presidente Néstor Kirchner, em outubro. “Nosso filho será papai! Vou ter um neto! CFK avó! Deus te tira, Deus te dá”, anunciou na ocasião, provocando uma chuva de comentários positivos de seus seguidores. A volta ao Twitter , naquele dia, incluiu também o anúncio da gravidez de uma de suas sobrinhas, filha da irmã de Néstor Kirchner, a ministra de Desenvolvimento Social, Alícia Kirchner.

Os dois anúncios foram um parêntese de alegria em meio ao rigoroso luto que a presidente arrasta desde que ficou viúva. Luto que vem rendendo créditos para Cristina. Candidata à reeleição, sua exposição não diminuiu depois que Néstor morreu. A presidente soube capitalizar a viuvez, e a empatia com os eleitores é grande quando chora durante discursos referindo-se ao ex-presidente como “Él” (ele). Ontem (10), quando fechou sua campanha para as eleições primárias de domingo, ela voltou a chorar e a recordar o marido com sua habitual voz entrecortada e olhos lacrimosos.

“Que cabeça e coração ele tinha… um coração tão grande que não coube no corpo. Estourou de tanto brigar por mim, de tanto me defender”, disse Cristina em relação ao infarto que matou o marido. Durante o discurso, ao lado do seu candidato à vice, o ministro de Economia, Amado Boudou, Cristina evocou a memória de Néstor em várias oportunidades. Também enviou mensagens ao filho e à nora. “Parece uma sessão de terapia, mas me perdoem, sinto a necessidade de dizer, por meus filhos que, seguramente, estão me escutando, lá no sul com Rocío, cuidando dela. Cuide muito da Rocío, por favor!”, disse emocionada ontem à noite.

O discurso de Cristina, ontem, e a viagem hoje, despertaram, nos bastidores da política e na imprensa local, a suspeita de que ela já sabia dos problemas com a gravidez. A agencia de notícias OPI Santa Cruz informou que Rocío foi atendida pelos médicos do plantão de emergência do hospital regional de Rio Gallegos, no último sábado, com perda de líquidos. O site sugere que Cristina deixou como último ato de campanha, o cenário de outro drama familiar, sensibilizando ainda mais o eleitor. A campanha eleitoral para as primárias termina hoje.