Autoridades seniores da Coreia do Sul e da Coreia do Norte se encontraram nesta quarta-feira, em um potencial sinal de que Pyongyang quer melhorar a relação com o sul e retomar lucrativos projetos corporativos.

Membros do governo de Seul disseram que o encontro foi um pedido da Coreia do Norte. Recentemente, os dois países concordaram em promover uma reunião das famílias separadas pela Guerra da Coreia, no primeiro evento desse tipo em mais de três anos.

O encontro desta quarta-feira teve início sem uma agenda fixa, mas segundo o Ministério da Unificação de Seul a Coreia do Sul quer discutir maneiras para permitir que as reuniões das famílias aconteçam regularmente. Os detalhes das conversas não estavam imediatamente disponíveis.

Em setembro, a Coreia do Norte cancelou no último minuto um encontro das famílias. Nos últimos dias, o país também tem ameaçado cancelar a reunião por causa dos exercícios militares que serão conduzidos entre Coreia do Sul e EUA no mesmo período.

Analistas externos dizem ser improvável que a Coreia do Norte cancele a reunião dessa vez, já que precisa melhorar as relações com o sul para ajudar a atrair investimento estrangeiro e ajuda.

Até o momento, a Coreia do Sul recusou as propostas do norte, que Pyongyang diz serem necessárias para aliviar as tensões entre os dois países. O governo de Seul afirmou que, antes, a Coreia do Norte deve promover o desarmamento nuclear e mostrar que realmente está disposta a melhorar a relação entre os países.

O delegado-chefe da Coreia do Sul no encontro, Kim Kyou-hyun, é vice-ministro de Relações Exteriores. A delegação da Coreia do Norte foi chefiada por Won Tong Yon, um veterano do Partido dos Trabalhadores especializado em relações com Seul.

O encontro foi o de maior prestígio entre as Coreias em anos. Enviados para discutir as questões nucleares se encontraram em 2011 às margens de um fórum de segurança regional, na Indonésia. Desde então, os laços entre os países pioraram consideravelmente. Em junho do ano passado, os planos para um encontro semelhante falharam por uma disputa protocolar sobre quem representaria cada lado. Fonte: Associated Press.