Enfrentamentos e ataques aéreos realizados pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e por forças afegãs deixaram pelo menos 53 milicianos mortos, anunciaram neste sábado (29) autoridades. Entre as vítimas havia um comandante do Taleban.

As forças norte-americanas que buscavam o comandante cercaram na sexta uma casa na província de Ghazni e ordenaram que todos saíssem, segundo um comunicado militar. Seis mulheres e 12 crianças deixaram o edifício. Porém, enquanto os soldados os interrogavam perceberam que havia no grupo um homem, disfarçado por uma burca. O homem, identificado como o comandante Haji Yakub, reagiu a tiros quando foi descoberto e foi morto.

Yakub supostamente dirigia as operações de instalação de bombas e atentados suicidas contra as forças do governo e da coalizão liderada pelos Estados Unidos em Ghazni, segundo o comunicado. Outros dois militantes morreram na ação.

Em outro incidente, forças afegãs e da coalizão mataram 13 milicianos, quando sua patrulha foi atacada na província de Helmand, no sul do país, ontem. Na província de Kandahar, uma operação de três dias da Otan no distrito de Zhari deixou 12 rebeldes mortos, segundo o chefe de polícia local. A ação se encerrou na sexta-feira, sem deixar policiais feridos.

Na província de Farah, no oeste, a polícia informou que matou quatro rebeldes. Um policial afegão morreu no confronto. Outros incidentes em demais pontos do país causaram o restante das vítimas. As informações são de agências internacionais.