As condições para as negociações de um pacote de resgate para a Grécia não melhoraram após a população do país rejeitar a última proposta de medidas de austeridade feita pelos credores do país, em plebiscito realizado ontem, afirmou Ewald Nowotny, membro do conselho diretor do Banco Central Europeu (BCE).

“Isso certamente não torna as negociações mais fáceis”, disse Nowotny à rádio austríaca ORF, acrescentando que haverá “um reencontro com a realidade”.

Nowotny também revelou temer que o governo grego sofra um despertar turbulento. Segundo ele, o plebiscito da Grécia não melhorou a posição de negociação do país, uma vez que os fatos econômicos não se alteraram, e Atenas terá de fechar um acordo com seus credores, que estabelecerão certas condições, antes de voltar a receber ajuda financeira.

Em entrevista separada à agência de notícias Austrian Press Agency, Nowotny disse que é uma “pura fantasia” acreditar que o governo grego pode fechar um acordo com os credores nos próximos dois dias.

“Algo assim exige tempo. É sobre dezenas de bilhões (de euros), o que não pode ser concedido num procedimento apressado”, disse Nowotny, alertando que não há tempo ilimitado para se chegar a um entendimento. Fonte: Dow Jones Newswires.