A libertação de duas reféns mantidas pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) por seis anos deu início a uma "luta contra a morte", disse que Fabrice Delloye, ex-marido de Ingrid Betancourt, em poder da guerrilha desde 2002. "Começamos uma luta contra a morte para conseguir a liberação de outros reféns", acrescentou.

Ontem a guerrilha entregou a uma missão organizada pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez, Clara Rojas, ex-assessora de Ingrid, e Consuelo González, ex-senadora. Rojas era companheira de chapa de Betancourt nas eleições presidenciais de 2002 e foi seqüestrada com a candidata no dia 23 de fevereiro daquele ano.

As Farc agradeceram a colaboração de Chávez, a quem entregaram Rojas e González como ato de desagravo, depois que o presidente colombiano, Álvaro Uribe, suspendeu a mediação dele na libertação de reféns. Entre as mais de 40 pessoas mantidas em cativeiro pelas Farc na Colômbia estão a franco-colombiana Ingrid Betancourt e três agentes de segurança privada norte-americanos. A guerrilha quer trocar os reféns por 500 rebeldes presos pelo governo.