Sob fortes chuvas, equipes de limpeza trabalham hoje para limpar montes de lixo e escombros acumulados nas ruas de comunidades no nordeste da Austrália. Conforme as águas dos rios transbordados no Estado de Queensland começam a descer, as autoridades avaliam a magnitude dos danos.

A boa notícia para as quase 200 mil pessoas prejudicadas pelas chuvas é que as enchentes finalmente parecem estar diminuindo. Apesar das novas tempestades, o nível do rio Fitzroy, em Rockhampton, começou a cair hoje. As águas já atingiram cerca de 3 mil residências em toda a cidade, deixando 200 delas totalmente alagadas.

Mesmo assim, a previsão é de que em muitas áreas a água siga em níveis altos pelo menos até a próxima semana, e as autoridades advertiram os moradores para que sigam fora de residências em áreas de risco. “É importante que a comunidade se lembre de que este evento ainda não terminou”, disse Brad Carter, prefeito de Rockhampton. “Essas pessoas que foram retiradas não poderão regressar para suas casas até que as inundações tenham diminuído”.

Quase 4 mil pessoas em todo o Estado de Queensland foram retiradas de suas casas desde que as chuvas começaram, no fim do ano passado. Cerca de 1.200 casas ficaram inundadas, enquanto outras 10.700 sofreram algum tipo de dano na área afetada, que é superior aos territórios somados de Alemanha e França.

As inundações causaram grande impacto econômico na região, provocando o fechamento de 75% das minas de carvão e destruindo plantações. O valor total ainda não foi estimado, mas a primeira-ministra de Queensland, Anna Bligh, disse que a reconstrução de casas, comércios, indústrias e demais infraestruturas pode custar mais de US$ 5 bilhões. A cidade de Bundaberg, importante produtora de batata-doce e amendoim, criou uma comissão especial para avaliar os danos. As informações são da Associated Press.