O governo da China rejeitou nesta quinta-feira que tenha realizados manobras que não fossem seguras quando interceptou um avião de reconhecimento da Marinha dos Estados Unidos no Mar do Sul da China. Pequim afirmou, além disso, que os EUA devem encerrar suas missões próximas do território chinês.

Os jatos chineses monitoraram o avião norte-americano de uma distância aceitável e atuaram de maneira segura e profissional, disse um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Hong Lei. “Segundo as autoridades chinesas relacionadas, a alegação dos EUA não é verdadeira”, afirmou o porta-voz. As frequentes missões de reconhecimento dos EUA “ameaçam a segurança marítima e aérea da China”, disse o porta-voz, que pediu o fim dessas atividades.

O Pentágono afirmou que dois aviões chineses J-11 voaram a cerca de 15 metros de uma aeronave dos EUA na terça-feira, o que forçou o piloto norte-americano a fazer uma rápida manobra para evitar uma colisão. Segundo os norte-americanos, a aeronave dos EUA fazia operações de rotina no espaço aéreo internacional. Fonte: Dow Jones Newswires.