A China afirmou hoje que iria “apoiar e saudar” qualquer diálogo entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul, após a oferta de Pyongyang por um diálogo “incondicional” em negociações com Seul. “Nós apoiamos e saudamos que as partes relevantes mantenham contatos e diálogo e façam interações ativas para guiar conjuntamente a situação para uma direção desejada”, disse Hong Lei, um porta-voz da chancelaria chinesa. “A China sempre acredita que o diálogo e as consultas são a única abordagem efetiva para resolver os temas relacionados à península. A China continuará a ter um papel construtivo para esse fim.”

Pyongyang ofereceu ontem negociações “incondicionais” com Seul, em suas declarações mais conciliatórias desde que o Estado com armas nucleares elevou a tensão na península, em novembro, ao disparar em uma ilha sul-coreana. O ataque deixou dois civis e dois militares sul-coreanos mortos. Em um pouco usual comunicado cordial, a agência estatal KCNA informou que a Coreia do Norte “propõe cordialmente a realização de um diálogo abrangente e de negociações”.

A China é o principal aliado da Coreia do Norte e crucial para a economia desse país. Atualmente, o diálogo em seis partes para o fim do programa nuclear de Pyongyang em troca de benefícios está paralisado. As conversas incluem as Coreias, China, Japão, Rússia e Estados Unidos. As informações são da Dow Jones.