O governo da China afirmou nesta sexta-feira que o comitê norueguês “violou e blasfemou” ao conceder o Prêmio Nobel da Paz para o dissidente chinês Liu Xiaobo, de 54 anos, preso no país. O governo advertiu também que os laços entre Noruega e China serão afetados por essa escolha. “Liu Xiaobo foi culpado por violar as leis chinesas e sentenciado à prisão pelos órgãos judiciais chineses”, alega o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Ma Zhaoxu. “Ao conceder o prêmio a essa pessoa, o comitê do Nobel violou e blasfemou contra o prêmio”, afirma o porta-voz em comunicado no site do ministério.

“O Prêmio Nobel da Paz deve ser concedido àqueles que trabalham para promover a harmonia étnica, a amizade internacional, o desarmamento e os encontros pela paz. Esses eram os desejos de (Alfred) Nobel”, lembra a nota. O funcionário da chancelaria acrescentou que o prêmio ao coautor da Carta 08, um manifesto pedindo reforma política no país comunista, iria “danificar as relações sino-norueguesas”. As informações são da Dow Jones.