A China bloqueou o acesso ao website do New York Times, informou o jornal norte-americano neste sábado (20), dias após o governo defender seu direito de censurar o conteúdo online que considera ilegal. Os usuários de computadores em Pequim, Xangai e Cantão receberam uma mensagem de que o site não estava mais disponível ao tentarem se conectar nesta manhã, segundo o jornal. Alguns usuários tiveram o acesso negado já na quinta-feira.

Um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores disse não tratar de assuntos relacionados a websites. O Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação, responsável pela regulamentação da Internet, não foi encontrado para comentar. No começo da semana, o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, Liu Jianchao, defendeu o direito de censura da China em websites considerados ilegais pelo governo, dizendo que outros países também controlam o uso da internet.

O New York Times disse que Pequim bloqueou o acesso também aos websites em língua chinesa da BBC, do Voice of America, do Asiaweek e do jornal de Hong Kong, Ming Pao, no começo da semana. Mas na sexta-feira, excluindo o Ming Pao, os demais já eram acessíveis, disse o NYT.

A China concentra o maior número de usuários de internet do mundo, de mais de 250 milhões, mas também montou um sofisticado sistema de policiamento dos websites e rotineiramente bloqueia aqueles que defendem a independência do Tibet ou do Dalai Lama.