Já chega a 17 o número de mortos após a explosão de uma bomba e um tiroteio que ocorreram ontem em Oslo, capital da Noruega, segundo a polícia local. Quinze pessoas ficaram feridas.

A violência começou à tarde, pelo horário local, quando uma bomba explodiu nas proximidades da sede do governo norueguês, ataque que deixou 7 mortos e 15 feridos, atingindo também a redação do jornal tabloide VG, o maior do país.

Mais tarde, um homem que vestia uniforme de policial atirou contra participantes de uma reunião da juventude do Partido Trabalhista norueguês, atualmente no governo, matando pelo menos 10 pessoas. Esse número foi confirmado pela polícia norueguesa.

O suposto atirador foi detido. Ele atacou os jovens em um acampamento na ilha de Utoya, perto de Oslo, e a área ainda era vasculhada pela polícia na noite de hoje.

Segundo o ministro da Justiça da Noruega, Knut Storberget, o atirador é norueguês, branco e tem 32 anos. A polícia teme que mais corpos de pessoas mortas estejam na ilha de Utoya. Segundo o secretário de Estado Hans Kristian Amundsen se trata do pior episódio deste tipo no país.

Um suposto grupo islamita, o Ansar al-Jihad al-Alami (Apoiadores da Jihad Global) assumiu a autoria dos ataques, mas o governo norueguês foi cauteloso em confirmar a afirmação.

O governo disse que é “muito cedo” para comentar sobre grupos que assumiram responsabilidades. A cautela do governo norueguês decorre do fato de que mais tarde a televisão estatal da Noruega negou que o grupo Ansar al-Jihad al-Alami tenha praticado os ataques.

Segundo a imprensa norueguesa, o grupo teria voltado atrás nas declarações, mas não foi possível confirmar de maneira independente essa informação. A polícia norueguesa acredita que os dois ataques estão interligados e emitiu um alerta para a população ficar longe das ruas centrais de Oslo.

O primeiro-ministro da Noruega, Jens Stoltenberg, está a salvo. Ele disse em entrevista por telefone que Oslo enfrenta uma “situação séria”. “Por mais que alguém esteja bem preparado, é sempre dramático quando algo assim acontece”, afirmou o premiê.

O presidente da União Europeia (UE), Herman van Rampuy, condenou o ato de “covardia” que atingiu Oslo, enquanto o governo dos Estados Unidos qualificou como “desprezível” a violência na capital da Noruega. A polícia ainda não informou a identidade do atirador do acampamento onde ocorria a reunião nem os possíveis motivos do ataque.

“Eu vi que algumas janelas no prédio do VG e na sede do governo foram quebradas. Algumas pessoas cobertas de sangue estavam nas ruas”, disse um jornalista à rádio estatal NRK. A rádio informou que a explosão parece ter ocorrido perto do Ministério de Finanças, que fica vizinho ao escritório do primeiro-ministro e à redação do tabloide VG.

“Existe vidro por todos os lados e é um caos completo. As janelas de todos os prédios vizinhos foram arrebentadas”, disse o jornalista Ingunn Andersen, da NRK. Fotos publicadas no website da NRK mostraram vidro quebrado na frente da fachada destruída do edifício do tabloide VG, enquanto soldados fechavam a área e pessoas rodeavam alguns feridos. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.