Em sua primeira atividade após o referendo de ontem, presidente venezuelano, Hugo Chávez, recebeu nesta segunda-feira (3) a senadora colombiana Piedad Córdoba e dois familiares da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). A Presidência da República informou em comunicado que o Chávez ratificou seu compromisso com o povo colombiano de continuar os esforços para conseguir a paz no país vizinho e a libertação das pessoas que estão nas mãos Farc.

A reunião se estendeu por mais de uma hora na sede do Executivo venezuelano e, além de Córdoba, participaram Yolanda Pulecio e Astrid Betancourt, mãe e irmã da ex-candidata presidencial colombiana seqüestrada pelo grupo guerrilheiro. A reunião "transcorreu em um clima de solidariedade e respeito em torno do tema da troca humanitária e dos eventos relacionados", acrescentou o comunicado.

Chávez atuou até o fim de novembro com o aval de Bogotá como mediador em uma tentativa de troca humanitária, mas sua participação foi abruptamente finalizada pelo presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, que então acusou Chávez de promover o terrorismo, querer exportar seu modelo de "socialismo do século XXI" e "incendiar" a região. Na semana passada, o governo colombiano anunciou que encontrou com dois guerrilheiros das Farc provas de vida dos detidos, que, aparentemente, seriam enviadas ao presidente Chávez.