Os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e da Bolívia, Evo Morales, assinaram um acordo por meio do qual foi criada a companhia petrolífera binacional Petroandina, cujo primeiro projeto será investir US$ 600 milhões na exploração de combustíveis em solo boliviano.

Depois da cerimônia na qual o acordo foi firmado, Chávez comentou que "a empresa mista é a primeira, mas deverão vir outras". Ele recomendou aos executivos da companhia petrolífera estatal venezuelana PDVSA que comecem a logo a busca por petróleo e gás na Bolívia. Pelo acordo firmado hoje, as companhias energéticas estatais PdVSA e Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) são as proprietárias da Petroandina.

Chávez desembarcou em El Alto, nos arredores de La Paz, na noite de quinta-feira depois de visitar o Equador. O avião do presidente venezuelano aterrissou na Bolívia com cinco horas de atraso. A Bolívia é a última escala de um giro de Chávez pela América do Sul para a assinatura de convênios energéticos. Ele também esteve na Argentina e no Uruguai.