O ator Charlton Heston continua fazendo campanha eleitoral para o Partido Republicano brandindo triunfalmente um fuzil e negando qualquer ligação entre a “cultura das armas” e o franco-atirador que já matou dez pessoas na área de Washington. O astro de 79 anos e presidente da National Rifle Association (NRA), a poderosa organização de fabricantes e proprietários de armas, declarou que o franco-atirador “é um sujeito solitário, que não tem amigos e aliados. Sem dúvida alguma, não é um dos nossos”.

Num comício em New Hampshire, o artista pediu votos para candidatos republicanos à Câmara de Representantes e ao Senado nas eleições de 5 de novembro e, como de costume, ergueu um fuzil e gritou a palavra de ordem contra os defensores de restrições à venda de armas: “Terão de passar por cima do meu cadáver para tirar-me este fuzil!”