De tanto lidar com o lixo, o catador de papel João Maria da Silva e alguns amigos passaram a aproveitar as horas vagas para inventar coisas com o material. A última delas foi um helicóptero feito de sucata. A máquina não voa, mas movimenta a hélice e acende as luzes, o suficiente para atrair a atenção da vizinhança, principalmente das crianças da Vila das Torres, em Curitiba.

Na máquina, foram gastos 40 quilos de ferro e duas lâminas de vidro. A hélice traseira foi feita de um ventilador e um velho motor instalado na “aeronave” é responsável por girar a hélice a acender as luzes dos faróis. João diz que desde pequeno gostava de criar coisas. “Meu pai vivia brigando comigo porque eu pegava as ferramentas dele e deixava jogadas”, lembra.

Outra invenção dele foi uma casa feita de madeira, mas que parecia de alvenaria. Colocou lâminas de fundo para formar as paredes e em cima delas aplicou madeiras cortadas como se fossem tijolos. “Parecia uma casa com tijolo a vista”, explica.

Hoje João vive de consertar os carrinhos dos vizinhos e sustenta sozinho os dois filhos pequenos. Conta que foi o primeiro a usar o veículo feito de ferro. Até então todos eram de madeira, mais pesados e ainda suportavam menos peso.

João gostaria de vender o invento, pelo qual pede R$ 3 mil. “Se alguém quiser comprar para alguma criança brincar ou ainda colocar no jardim”, sugere.