O governo do Canadá declarou “persona non grata” o embaixador da Venezuela, Wilmer Barrientos Fernández, e o encarregado de negócios, Àngel Herrera, de acordo com informações da CBC News, agência nacional de notícias canadense.

A medida ocorre como política de reciprocidade, após o governo da Venezuela ter declarado no sábado “persona non grata” o responsável de negócios do Canadá, Craib Kowalik. Além dele, o embaixador brasileiro à Venezuela, Ruy Pereira, recebeu o mesmo tratamento. A decisão seria uma reação aos questionamentos feitos pelo Canadá e Brasil em relação à conturbada situação política pela qual passa a Venezuela.

Segundo informações da imprensa canadense, a ministra de Relações Exteriores do país Chrystia Freeland teria dito que a decisão da Venezuela era “típica do regime de Nicolás Maduro, que tem destruído de forma consistente todos os esforços para restaurar a democracia e ajudar o povo venezuelano”.

“Os canadenses não ficarão em modo de espera, enquanto o governo da Venezuela tira de seu povo o direito à democracia e aos direitos humanos e nega acesso à assistência humanitária básica”, declarou Freeland.

Em relação ao Brasil, o Itamaraty avisou ontem que deverá adotar “medidas de reciprocidade correspondentes”. O Ministério das Relações Exteriores não tem nenhuma previsão de enviar outro embaixador brasileiro à Venezuela.