O Comitê de Assuntos Estrangeiros da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou nesta quinta-feira (24) uma medida que dá permissão condicional para um acordo de cooperação nuclear civil entre os EUA e a Rússia. A norma sinaliza que o Congresso americano não bloqueará o acordo com a Rússia, apesar das objeções de alguns parlamentares de que a Moscou não deve ser recompensado enquanto não aumentar as pressões sobre o Irã para que o país abandone seu suposto programa de armamentos nucleares.

A medida aprovada pelo painel requer que o presidente americano se certifique de que a Rússia cumpra certas condições antes que a cooperação nuclear seja autorizada. Uma vez por ano, o presidente dos Estados Unidos terá de verificar se a Rússia toma medidas para evitar que seu governo e cidadãos ajudem o programa nuclear do Irã ou o projeto iraniano de mísseis balísticos.

A administração Bush vê o acordo com a Rússia como um avanço na cooperação, numa época de crescentes tensões entre Washington e Moscou sobre questões como a instalação do escudo americano antimísseis no Leste Europeu, a expansão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e as diferenças sobre o Irã.

Alguns congressistas, democratas e republicanos, pressionam o governo a derrubar o acordo, que entrará em vigor em 90 dias úteis caso o Senado ou a Câmara dos Representantes não aprovem uma resolução se opondo ao documento. Ainda assim, o acordo terá que ser aprovado no Senado e depois sancionado pelo presidente George W. Bush para entrar em vigor.