A Câmara Venezuelana-Americana de Indústria e Comércio manifestou nesta terça-feira (22) preocupação pelas nacionalizações aprovadas pelo governo da Venezuela, por considerar que elas atentam contra os investimentos privados no país.

O presidente do órgão, Edward Jardine, disse que "as nacionalizações foram um fator de preocupação muito grande para o setor empresarial". Ele disse não questionar o direito do governo a executá-las, "sempre e quando haja uma compensação justa para os bens".

O governo venezuelano anunciou a nacionalização da empresa siderúrgica Sidor e das produtoras de cimento do país, após considerá-las estratégicas para o desenvolvimento nacional. A direção da Sidor protagonizava um conflito há 15 meses com os trabalhadores, que pediam a intervenção estatal.

Quanto às fábricas de cimento, o governo às acusa de privilegiar as exportações e de desabastecer o mercado interno.