Apesar de estar em uma região sem grandes conflitos, o Brasil deu abrigo em 2009 para 4.294 refugiados procedentes de quatro continentes, em sua maioria africanos, revelou um relatório das Nações Unidas divulgado hoje em Brasília.

Segundo o estudo Tendências Globais 2009, elaborado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), a maior parte dos refugiados do Brasil no ano passado veio de Angola, com 1.688 pessoas. Há também 589 colombianos nessa condição. “Aqui eles se sentem tranquilos em relação à sua raça, religião ou grupo social, o que nos deixa muito felizes, porque é o resultado da hospitalidade do povo brasileiro”, afirmou Renato Zerbini, coordenador-geral do Comitê Nacional para os Refugiados (Conare) do governo brasileiro.

O maior país da América Latina recebeu refugiados da África (2.798), da América (959), da Ásia (443) e da Europa (98). Zerbini apresentou os dados sobre refugiados no Brasil junto a autoridades da Acnur.

O informe mundial dessa entidade da ONU contabiliza em 43,3 milhões o número de pessoas obrigadas a se deslocar de seus países em 2009, por causa de conflitos ou perseguição. Trata-se do maior número de deslocamentos forçados desde meados da década de 1990.

Após Angola e Colômbia, os países que mais enviaram refugiados ao Brasil são a República Democrática do Congo, com 420, a Libéria, com 259, e o Iraque, com 199.