O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, chegou hoje a Islamabad, capital do Paquistão, para conversas sobre o combate ao terrorismo com importantes líderes do país e autoridades militares, disse um funcionário norte-americano. Os EUA querem mais ações do Paquistão para erradicar a Al-Qaeda e o Taleban, que têm criado bases na zona semiautônoma do noroeste tribal do país, de onde lançam ofensivas no vizinho Afeganistão.

O funcionário disse que Biden se encontrará com o presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, e o primeiro-ministro, Yousaf Raza Gilani, para discutir a relação entre os países e como ambos podem trabalhar juntos para a paz e a estabilidade regional. “O vice-presidente Biden irá também se encontrar com membros da liderança política do Paquistão para discutir nossos esforços compartilhados para combater o terrorismo e o extremismo.”

A agência estatal do Paquistão APP informou que Biden deve apresentar um pacote econômico, militar e de inteligência para o Paquistão, para ajudar o país a lidar com o peso econômico das medidas antiterror. O governo local atribuiu em parte os problemas econômicos à transferência de recursos para lutar contra os militantes. O Paquistão tem uma grande dívida fiscal e enfrenta problemas com a falta de combustível e energia.

Biden chegou ao Paquistão vindo de Cabul, onde se encontrou com o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai. As conversas incluíam uma discussão sobre a presença de tropas norte-americanas no território afegão, integrando a força de 140 mil estrangeiros no país. Os EUA já deram milhões de dólares ao Paquistão, para ajudar o país a lidar com as violentas enchentes do ano passado no país.

O vice-presidente americano chegou horas após um avião não tripulado dos EUA atacar um distrito tribal do Waziristão do Norte, matando três supostos militantes, segundo fontes de segurança. Os ataques com mísseis ampliam o sentimento antiamericano no país. Washington não confirma essas ações publicamente, mas diz que é fundamental expulsar os militantes do cinturão tribal no noroeste paquistanês. Os rebeldes preparam nessa área ataques contra as tropas estrangeiras no vizinho Afeganistão. As informações são da Dow Jones.