O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, convocou neste sábado uma manifestação antes de uma votação parlamentar sobre seu contestado governo. Em meio a uma série de escândalos, Berlusconi pediu uma “grande, grande passeata e uma coleta de assinaturas de apoio” à atual administração, nos próximos dias 11 e 12.

Político de centro-direita, Berlusconi deve passar por um voto de confiança nas duas Casas do Parlamento, em 14 de dezembro. Segundo a Constituição italiana, ele precisa renunciar em caso de derrota.

Berlusconi tem uma maioria no Senado, mas acredita-se que pode ser ameaçado pela votação na Câmara dos Deputados. A principal força da oposição, o Partido Democrático, convocou um dia nacional de protestos em Roma para o dia 11.

Em uma mensagem a seu partido, Berlusconi criticou aqueles que, na opinião dele, são fonte de uma “irresponsável crise política”, paralisando a vida pública nacional.

Berlusconi disse que os parlamentares que não apoiarem seu governo “terão de assumir a responsabilidade por ter traído os eleitores e eles carregarão por todas suas vidas a marca dessa deslealdade”.

O primeiro-ministro tem enfrentado uma queda recorde de popularidade. Ele disse ainda que não ficará satisfeito se superar a moção de censura por pequena margem, e que nesse caso pode ainda renunciar. Com isso, haveria nova eleição. As informações são da Dow Jones.