O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, atacou hoje a Constituição do país e disse que ela não é amigável o suficiente às empresas. Berlusconi também se comprometeu a liberalizar a economia. “A Constituição é muito obsoleta. Ela fala muito sobre os trabalhadores, mas quase nunca sobre empresas e sobre o mercado”, afirmou, durante encontro com empreendedores.

Berlusconi acrescentou que a “cultura comunista dos anos 1970” foi responsável pelo sentimento contrário aos negócios na Itália. O primeiro-ministro disse que queria dar o pontapé inicial em uma “temporada de liberalização para as empresas”, ao suspender as regulamentações por dois ou três anos.

Para fazer isso, segundo ele, seu governo precisará reescrever um artigo na Constituição sobre a liberdade dos empreendimentos. “A Itália é um dos países nos quais é mais difícil ser empresário”, disse. Berlusconi afirmou ainda que o país está com uma necessidade urgente de “um novo sistema, no qual não haverá necessidade de pedir permissões, autorizações, licenças”.

As declarações irritaram a oposição italiana. “Você jurou à Constituição. Se você não gosta dela, vá embora”, disse o líder do Partido Democrático (PD), Pierluigi Bersani. Outros políticos da oposição compararam Berlusconi ao ditador fascista Benito Mussolini (1883-1945). As informações são da Dow Jones.