Cidade do Vaticano – O papa Bento XVI afirmou nesta sexta-feira (18) que "a liberdade religiosa é um direito primordial de todo ser humano", durante uma audiência com os membros da Conferência dos Bispos Latinos das Regiões Árabes, em visita ao Vaticano.

O Papa expressou seu desejo de que "onde quer que seja, haja autêntica liberdade religiosa" e que "não se coloquem obstáculos ao direito de todos de praticar livremente a própria religião ou mudá-la".

Bento XVI afirmou que "um melhor conhecimento recíproco" da fé "é necessário para favorecer um respeito sempre maior à dignidade humana, à igualdade de direitos e deveres das pessoas e a uma renovada atenção às necessidades de todos, sobretudo dos mais pobres".

O Papa pediu aos bispos que apóiem as famílias cristãs, "que enfrentam numerosos desafios, como o relativismo religioso, o materialismo e todas as ameaças contra os valores morais, familiares e sociais".

Bento XVI mostrou-se solidário com todas as pessoas das regiões árabes que "sofrem múltiplas formas de violência" e assegurou "a solidariedade de toda a Igreja universal".

Durante a audiência, o Papa fez um apelo "à sabedoria de todos os homens de boa vontade", especialmente os governantes, para que "no Oriente Médio, dando preferência ao diálogo entre todas as partes, em todos os lugares se instaure uma paz verdadeira e duradoura e se estabeleçam relações de solidariedade e colaboração".   

Para o Pontífice, os cristãos da Terra Santa que escolherem permanecer em sua terra apesar da violência e das difíceis condições de vida devem ser "apoiados firmemente". "A Terra Santa não deve se converter em um sítio arqueológico carente de vida eclesiástica", disse o Papa.