O senador Barack Obama abandonou sábado (31) sua igreja em Chicago, onde os sermões do controverso reverendo Jeremiah Wright e de outros membros criaram dores de cabeça para o favorito à indicação presidencial democrata. Obama espera obter indicação do partido na próxima semana. O anúncio aparece dias após o reverendo convidado Michael Pfleger ironizar sua rival democrata a senadora Hillary Clinton. Pfleger, que trabalha em um bairro de negros e que é conhecido em Chicago por campanhas polêmicas, pronunciou um sermão na semana passada que foi rapidamente reproduzido pela Internet.

"Quando Hillary chorou as pessoas disseram que era mentira. Realmente, eu não acho que foi mentira. Realmente acho que ela sempre pensou, ‘Isto é meu. Sou a esposa de Bill. Sou branca e isto é meu! Simplesmente tenho que me levantar e ocupar lugar’. Então, do nada, surgiu Barack Obama", declarou o religioso, que é branco, em meio aos aplausos e risos da congregação. "Sou branca. Tenho direitos. Há um negro que está roubando meu lugar", ironizou. O sacerdote fazia referência a um ato em New Hampshire no início de janeiro durante o qual a senadora democrata se emocionou e seus olhos se encheram de lágrimas após ter perdido as prévias de Iowa para Obama.

Antes, o reverendo Wright – ex-pastor da Trinity United Church of Christ e conselheiro espiritual de Obama por 20 anos – atraiu um foco indesejado à campanha do senador quando vídeos de seus sermões inflamados apareceram. Neles, o reverendo sugeria, entre outras acusações, que o governo americano seria responsável pela disseminação da Aids na comunidade negra. Obama disse que não estava presente durante as pregações de Wright ou Pfleger e condenou os dois. Recentemente, o democrata se disse "profundamente desapontado" pela "divisível" retórica de Pfleger.