Aviões sírios atacaram uma cidade tomada por rebeldes nas proximidades da fronteira libanesa nesta quarta-feira, informaram ativistas, numa aparente tentativa de expulsar combatentes opositores da área e consolidar o controle sobre a região fronteiriça.

Yabroud é o último reduto rebelde na montanhosa região de Qalamoun. Apoiado por combatentes do Hezbollah, o Exército sírio tem realizado uma forte ofensiva na região desde o início de dezembro.

As ações em Yabroud acontecem um dia depois de uma tensa sessão durante as negociações entre representantes do governo e da oposição em Genebra. Não havia informações sobre uma nova rodada de conversações nesta quarta-feira, depois de representantes do governo e líderes da oposição terem trocado fortes acusações a respeito do fracasso das negociações um dia antes.

O Observatório Sírio pelos Direitos Humanos informou a ocorrência de pesados confrontos em Yabroud entre tropas leais ao presidente Bashar Assad e rebeldes que tentam derrubar seu governo. O Observatório, grupo sediado em Londres e que documenta o conflito desde seu início em março de 2001, disse que os aviões haviam realizado dez ataques nesta quarta-feira.

Yabroud tem sido controlada pela oposição na maior parte do tempo desde o início da guerra na Síria.

A emissora de televisão libanesa Mayadeen e a Al-Manar, do Hezbollah, disseram que o Exército sírio tem iniciado uma “operações militar de grande escala em Yabroud” e que as tropas “estão avançando”. No início da tarde, as tropas de Assad tomaram o controle da vila de Jarajir e das montanhas do lado sírio da fronteira, perto da cidade libanesa de Arsal.

O governo de Arsal iniciava os preparativos para receber mais sírios em fuga da região vizinha.

Também nesta quarta-feira, o vice-ministro de Relações Exteriores russo Gennady Gatilov chegou em Genebra para encontrar-se com o mediador Lakhdar Brahimi, representante da Organização das Nações Unidas e da Liga Árabe, que está pessimista a respeito de qualquer avanço nas negociações. Na terça-feira ele declarou que “não estamos fazendo muitos progressos”.

Uma reunião entre Brahimi, Gatilov e a subsecretária de Estado norte-americana para Assuntos Políticos, Wendy Sherman, está agendada para quinta-feira em Genebra para discutir o impasse. Fonte: Associated Press.