O advogado de defesa de Anders Behring Breivik disse que tudo indica que seu cliente tem problemas mentais. Durante uma coletiva de imprensa, Geir Lippestad descreveu Breivik como um homem frio e sem empatia, mas não disse se vai apresentar uma alegação de insanidade durante o julgamento.

Lippestad afirmou que a audiência sobre o caso realizada na segunda-feira foi encerrada por causa dos temores de que seu clientes poderia estar enviando sinais a outras células do grupo ao qual afirma pertencer. Breivik é acusado de explodir uma bomba no centro da capital da Noruega e de fazer disparos que mataram várias pessoas durante um acampamento da juventude do Partido Trabalhista numa ilha a 40 quilômetros ao norte de Oslo na sexta-feira.

O norueguês de 32 anos confessou ter realizado o atentado a bomba na capital e os disparos na ilha de Utoya, que deixaram 76 mortos, e disse que há pelo menos outras duas células do grupo em operação. Apesar disso, ele se declarou inocente das acusações de terrorismo, afirmando que agiu para salvar a Europa do que chamou de colonização muçulmana.

Perguntado sobre os motivos que levaram Breivik a realizar o ataque, Lippestad declarou que “ele está em guerra e acha que todo o mundo ocidental não entende seu ponto de vista, mas que em 60 anos vamos entender”. O advogado disse também que o acusado odeia qualquer pessoa que acredita nos valores democráticos ocidentais.

De acordo com o advogado, Breivik ficou surpreso por conseguir realizar os ataques e esperava morrer. Lippestad disse que Breivik contou a ele que os ataques foram dirigidos contra o Partido Trabalhista, atualmente no poder, mas que aceitou defender o acusado, apesar de ser ele mesmo um integrante da legenda, embora Breivik não soubesse desse detalhe. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.