Pelo menos 16 pessoas morreram e 41 ficaram feridas em um atentado suicida contra as forças de segurança no leste do Afeganistão. O ataque ocorreu nesta terça-feira (29) em Khogyani, na província de Nangarhar, disse Abdul Mohammad, um oficial da polícia local. Dos 16 mortos no ataque do homem-bomba, 12 eram policiais afegãos.

O major Martin O’Donnell, por sua vez, disse que havia soldados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) na região no momento do ataque, mas nenhum deles ficou ferido.

Enquanto isso, o diretor do serviço secreto afegão, Amrullah Saleh, disse perante o Parlamento que o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, foi advertido de que havia um complô para tentar assassiná-lo no último fim de semana. Ele revelou que o complô foi descoberto com cerca de um mês de antecedência e lamentou que falhas na segurança tenham permitido aos militantes lançarem o ataque.

Os rebeldes mataram três pessoas, inclusive um parlamentar afegão, no ataque de domingo (20), realizado em Cabul durante a celebração da vitória sobre as forças de ocupação soviéticas no fim da década de 1980. Três rebeldes morreram nos choques que se seguiram com as forças locais de segurança.