A explosão de vários carros-bomba nesta segunda-feira em cidades e bairros predominantemente xiitas das regiões central e sul do Iraque, deixaram pelo menos 26 civis mortos e dezenas de feridos.

As explosões acontecem em meio a um aumento da violência sectária após confrontos ocorridos em campos montados pelos sunitas para protestar contra o que consideram discriminação contra eles. Nenhum grupo assumiu a autoria dos ataques, mas ações coordenadas costumam ser uma marca da Al-Qaeda no Iraque.

Dois carros que estavam parados explodiram simultaneamente na manhã desta segunda-feira na cidade de Amarah, perto de um mercado e de um local onde trabalhadores da construção civil estavam reunidos, matando 13 civis e ferindo 42, segundo a polícia.

Outro policial disse que um carro que também estava estacionado perto de um restaurante, na cidade de Diwaniyah explodiu, matando oito civis e ferindo 25. Pelo menos outros três carros queimados e retorcidos foram vistos do lado de fora de um prédio de dois andares, cuja fachada estava danificada por uma explosão.

Amarah, a cerca de 320 quilômetros a sudeste de Bagdá e Diwaniyah, que está a 30 quilômetros ao sul da capital, são locais de maioria xiita.

Horas mais tarde, outro carro que estava estacionado explodiu na cidade xiita de Kerbala, matando dois civis e ferindo 12. Outro carro bomba foi detonado num bairro xiita da cidade predominantemente sunita de Mahmoudiya, localizada a cerca de 30 quilômetros ao sul de Bagdá, matando três pessoas e deixando 16 feridas.

A violência sectária se intensificou deste terça-feira, quando forças de segurança tentaram realizar detenções num acampamento de protestos sunita na cidade de Hawija, norte do país. A ação levou a confrontos que deixaram 23 mortos, dentre eles três soldados. As informações são da Associated Press.