Um carro-bomba suicida taleban que tinha como alvo a base da Otan no aeroporto de Jalalabad, leste do Afeganistão, matou pelo menos nove pessoas nesta segunda-feira, após vários dias de protestos contra os EUA, com várias mortes, em repúdio à queima de exemplares do Alcorão.

Seis civis, um soldado afegão e outros dois integrantes da guarda local foram mortos na explosão, disse a polícia, mas não houve relatos de vítimas pertencentes às forças da Otan, segundo um porta-voz dos EUA da Força Internacional de Assistência à Segurança (ISAF, na sigla em inglês).

Os insurgentes talebans assumiram a responsabilidade pela atentado, dizendo que isso foi feito como vingança à queima do Alcorão em uma base militar norte-americana, elevando assim a 40 o número de mortos em seis dias de violentos protestos no país.

“As forças estrangeiras têm insultado a nossa religião e este ataque foi mais uma maneira de nos vingarmos”, disse o porta-voz do Taleban, Zabihullah Mujahid.

No domingo, sete soldados dos EUA ficaram feridos em um ataque com granadas durante uma manifestação anti-EUA em uma base no norte da província de Kunduz, informou a polícia. No sábado, dois assessores dos EUA foram mortos a tiros no Ministério do Interior, em Cabul.

A embaixada dos EUA foi bloqueada desde que a onda de violência eclodiu no país. O governo norte-americano tem alertado sobre uma “elevada ameaça aos cidadãos norte-americanos no Afeganistão”.

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, disse no domingo que os protestos mortais no Afeganistão, em razão da queima de exemplares do Alcorão por soldados americanos, “deve parar”. “Lamentamos profundamente o incidente que levou a estes protestos, mas também acreditamos que a violência deve parar e o trabalho duro para se construir um mundo mais pacífico deve continuar”, disse ela em uma coletiva de imprensa.

O presidente afegão, Hamid Karzai, foi à TV no mesmo dia pedir calma à população. O presidente dos EUA, Barack Obama, já havia pedido desculpas aos afegãos pelo ocorrido. As informações são da Dow Jones.