Pelo menos quatro civis morreram e 17 ficaram feridos hoje na explosão de um carro-bomba em Cabul, capital do Afeganistão. O ataque tinha como objetivo atingir o ministro de Energia afegão, Ismail Khan, que seguia em comboio em direção ao aeroporto da cidade. Khan, um ex-governador da província de Herat, nada sofreu e chegou com segurança ao aeroporto, mas quatro de seus guarda-costas ficaram feridos na explosão, segundo a polícia local.

O grupo militante Taleban admitiu a autoria do atentado. Mais de 100 oficiais e anciãos tribais favoráveis ao governo afegão foram atacados pelo Taleban este ano. Em metade dos casos, as vítimas foram mortas. A campanha de violência do Taleban é um sinal da deterioração da segurança no Afeganistão, onde também um número recorde de soldados dos Estados Unidos e Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) foram mortos desde o início do ano.

O governo norte-americano debate a possibilidade de enviar mais tropas ao Afeganistão em meio a acusações de que a eleição presidencial afegã de 20 de agosto foi fraudada. Em outra ocorrência, também no domingo, um soldado britânico morreu na explosão de uma bomba enquanto fazia patrulha no sul do país.

No sábado, dois soldados dos EUA morreram, um por conta de uma bomba e outro durante um ataque de militantes, também no sul afegão. Além disso, três militares franceses morreram durante uma violenta tempestade na província de Kapisa, no nordeste do país.