A Argentina negou nesta segunda-feira a entrada no porto de Ushuaia a dois navios de cruzeiros da Carnival Corporation, na primeira vez em que aplicou uma lei que tem como objetivo pressionar a Grã-Bretanha a negociar a soberania das ilhas Malvinas (Falkland) e das águas territoriais do arquipélago no Atlântico Sul. Os navios Star Princess e Adonia não receberam autorização para atracar no porto de Ushuaia, a cidade mais meridional da Argentina na Terra do Fogo. Os navios fizeram escalas nas Malvinas.

Segundo informações da Associated Press, a ordem negando a entrada dos navios em Ushuaia partiu da governadora da província de Tierra del Fuego, Fabiana Rios, aliada da presidente argentina Cristina Kirchner. Os navios viajam das Malvinas para o Chile.

Veteranos da Guerra das Malvinas, em 1982, pressionaram o governo a aplicar uma lei que proíbe que navios britânicos ou navios que sejam de propriedade parcial de empresas britânicas, como os da Carnival, atraquem em portos argentinos. O Star Princess leva bandeira de um território britânico e o Adonia porta a própria bandeira do Reino Unido, a union jack. A chancelaria britânica disse que a medida argentina não tem justificação.

As informações são da Associated Press.