Aposentados israelenses se juntaram nesta segunda-feira aos protestos contra a alta no custo de vida e a situação da economia, com centenas protestando em Tel-Aviv e pedindo preços mais baixos para os remédios e menos impostos. As manifestações começaram no mês passado, quando os jovens protestaram contra os altos preços do aluguéis, mas o movimento rapidamente se alastrou para segmentos descontentes da sociedade israelense que vão às ruas contra os preços dos alimentos e da educação.

Mais de 250 mil pessoas saíram em passeatas no sábado, no maior protesto popular da história israelense. O descontentamento representa um dos maiores desafios ao governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. Ele ofereceu algumas reformas mas elas foram rechaçadas pelos manifestantes.

O Parlamento de Israel suspenderá seu recesso de verão para discutir a crise na próxima semana.

As informações são da Associated Press.