enkontra.com
Fechar busca

Mundo

Violência

Em coma há 10 anos, mulher dá à luz após possível estupro; CEO de hospital se demite

  • Por Estadão Conteúdo
Pixabay

Um afogamento deixou a mulher em estado vegetativo persistente por quase uma década. O seu universo se  limitava a um dos quartos da Phoenix Hacienda HealthCare, onde ela recebia atendimento 24 horas por dia. Quando ela entrou em trabalho de parto alguns dias depois do Natal e deu à luz a um bebê seus cuidadores ficaram desconcertados. O caso chocou a comunidade local e desencadeou uma investigação sobre abuso sexual e estupro.

“Pelo que me disseram, ela estava gemendo e eles não sabiam o que havia de errado com ela… Nenhum dos funcionários sabia que ela estava grávida até ela dar à luz”, disse uma fonte não identificada à rede de televisão CBS. Em 29 de dezembro, com a ajuda de uma das enfermeiras da unidade, a paciente deu à luz um menino. O nascimento – e a agressão sexual de uma pessoa vulnerável que deve tê-lo precedido – chamou atenção para as condições de uma organização sem fins lucrativos que se considera a fornecedora líder de assistência médica em Phoenix.

Um porta-voz da polícia de Phoenix disse ao The Washington Post que o departamento está investigando, mas não divulgou detalhes sobre o caso. A Hacienda HealthCare, que tem 40 programas que atendem mais de 2.500 pessoas por ano no Arizona, disse em comunicado na segunda-feira que o CEO da empresa, Bill Timmons, renunciou ao cargo.

A Hacienda “não aceitará nada menos que uma explicação completa dessa situação absolutamente horrível, um caso sem precedentes que devastou todos os envolvidos, desde a vítima e sua família até os funcionários da Hacienda em todos os níveis da organização”, Gary Orman, membro do conselho de diretores da clínica, disse no comunicado.

Ninguém foi preso em conexão com o caso, e não está claro se a polícia já tem um suspeito. No Arizona, agredir sexualmente um adulto vulnerável é um crime grave.

A mãe da mulher abusada, Karina Cesena, disse a uma emissora de TV que está dormindo no quarto de sua filha de 22 anos na clínica até que o agressor seja encontrado. A filha de Cesena tem uma lesão cerebral traumática que causa centenas de convulsões por dia. Cesena disse que sua filha pode responder sim ou não a perguntas. “Ela não é capaz de andar ou falar ainda, mas ela entende”.  Sobre a Hacienda HealthCare, Cesena disse: “A confiança foi quebrada. A confiança definitivamente foi quebrada”.

Mudança na rotina

Outros familiares de pacientes disseram à emissora que haviam notado a presença de mais guardas de segurança e um novo protocolo exigindo que os funcionários homens fossem acompanhados por funcionárias do sexo feminino, caso entrassem no quarto de uma paciente do sexo feminino.

O gabinete do governador do Arizona, Doug Ducey, divulgou um comunicado dizendo que os relatos são “profundamente preocupantes”.  O Departamento de Segurança Econômica do estado enviou uma equipe para fazer verificações de saúde e segurança nas instalações, e o Departamento de Serviços de Saúde reforçou as medidas de segurança: mais funcionários, maior monitoramento e maior segurança.

A Hacienda HealthCare foi fundada há cinco décadas. Na época, chamava-se Hacienda de los Angeles, ou “a morada dos anjos”. A Hacienda HealthCare tornou-se o guarda-chuva de vários programas na área de Phoenix que tratam bebês, crianças e adultos com doenças crônicas.

Já eram conhecidos relatos de maus-tratos de pacientes. Por exemplo, uma investigação em 2013 descobriu que um membro da equipe havia feito “declarações sexuais inapropriadas” sobre quatro clientes. O membro da equipe comentou que uma paciente com deficiência intelectual havia sido colocada em uma posição sexual. Os incidentes foram relatados aos administradores do estabelecimento um mês depois de supostamente terem ocorrido.

Esse funcionário foi finalmente demitido, mas o Estado chegou à conclusão de que a clínica “não conseguiu garantir que os clientes fossem tratados com dignidade”.

 

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

13 Comentários em "Em coma há 10 anos, mulher dá à luz após possível estupro; CEO de hospital se demite"


Cláudio
Cláudio
13 dias 5 horas atrás

Uma situação dessas lembra e só se compara aos experimentos da segunda guerra pelo “Dr” Josef Mengele.

MAIOR DO ESTADO
MAIOR DO ESTADO
13 dias 13 horas atrás

João de deus dava plantão nesse hospital??

Fabiano Duarte
Fabiano Duarte
13 dias 20 horas atrás

Outra coisa que é bem estranha, mesmo em coma o check-up de exames deve ser no mínimo anual incluindo ginecologia, como não identificaram nada, se ela tem 22 e está há 10 anos vegetando chegamos a conclusão que sofreu o acidente com 12 anos possivelmente virgem

Fabiano Duarte
Fabiano Duarte
13 dias 20 horas atrás

Depois da m.e.r.d.a pronta a norma de funcionários homens entrarem acompanhados, crime recorrente com certeza mas com a gravidez veio a tona, antes dessa norma muito abuso deve ter acontecido

Kevin Mamar
Kevin Mamar
13 dias 23 horas atrás

Como tem gente doente nesse mundo…estuprar uma mulher em coma

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas